3 de abr de 2010

ORTOGRAFIA OFICIAL

O h usa-se apenas:

a) no início de certas palavras: haver hoje homem

b) no fim de algumas interjeições: ah! oh! uh!

c) no interior de palavras compostas, em que o segundo elemento, iniciado por h, se une ao primeiro por meio de hífen: anti-higiênico pré-histórico super-homem


d) nos dígrafos ch, lh, e nh: chave talho banho


L E M B R E – S E: só usamos a letra m antes do b e p. Antes das demais consoantes usamos n.


Por que usar a letra H se ela não representa nenhum som? Realmente ela não possui valor fonético, mas continua sendo usada em nossa língua por força da etimologia e da tradição escrita.


.ch/x X CH
Depois de ditongo.
Ex.: peixe, ameixa...


Palavras derivadas de outras escritas com pl, fl e cl.
Ex.: enxoval, enxaqueca...


São exceções encher, encharcar, enchumaçar e seus derivados.


S/SS SS Ç (só é grafado antes de a, o, u)

Terminação dos superlativos sintéticos e do imperfeito de todos verbos.
Ex.: lindíssimo, corrêssemos...


Palavras derivadas de primitivas escritas com ç.
Ex.: embaçado (embaço)...


Palavras ou radicais iniciados por s que entram na formação de palavras derivadas ou compostas.
Ex.: homossexual ( homo + sexual)


Verbos em -ecer, -escer.
Ex.:anoiteça (anoitecer)...


Palavras de origem árabe, indígena e africana.
Ex.: paçoca, muçulmano, miçanga...


s/z S Z
Derivadas de primitivas com "s"
Ex.: visitante ( visita)...


Derivadas de primitivas com "z".
Ex.: enraizar ( raiz), vazar (vazio)...


Nas formas dos verbos pôr, querer e seus derivados (repor, requerer...).
Ex.: pusesse, quisesse...


Sufixo formador de verbo -izar.
Ex.: realizar, modernizar... Após um ditongo.


Ex.: maisena, pausa...


Sufixo -oso formador de adjetivos .
Ex.: amoroso, atencioso...


Sufixo -ez (a) formador de substantivos abstratos.
Ex.: timidez, viuvez...


Sufixos -isa, -ês, -esa usados na constituição de vocábulos que indicam: profissão, nacionalidade, estado social e títulos.
Ex.: baronesa, norueguês, sacerdotisa, cortês, camponês...


Deve-se distinguir rigorosamente os vocábulos parônimos (de sons semelhantes)
e os de dupla grafia, com E ou I, O ou U, c ou Q, CH ou X. G ou J, S, SS ou C, Ç, S ou X, S ou Z. “g” e “j”; “g” e “gu” antes de vogais


O uso do = J
As palavras de origem latina: jeito, sujeição, hoje, majestade, trejeito...


As palavras de origem árabe, indígena, africana ou mesmo populares com sentido exótico, quando se sente o som palatal do "J": Alfanze, alforje, jibóia, jiló, jenipapo, pajé, jipe, jiu - jitsu, jirau, jingar, manjericão...


As palavras derivadas de outras escritas com "J" (Observe dentro dos parênteses):
Gorjeio, gorjear, gorjeta (de gorja), sarjeta (de sarja), lisonjear, lisonjeiro (de lisonja).


Nos substantivos sempre que a etimologia não justificar um "g", represente - se o som palatal por "j". Arranje (arranjar), suja (sujar), viaje (viajar)... e


Substantivos vindos de verbos em "JAR": arranjo, sujeira, jia, jerico, manjerona, caçanje, pajé...


O uso do = G
As palavras de origem grega ou latina:


Falange, gesto, sugestão, tigela...


As palavras de origem Árabe:


Álgebra, ginete, girafa, giz...


As palavras de importação estrangeira, em cuja origem aparece o "G":


Gim (ing.), ágio, (ital.), sege (fr.), geléia, herege...


As palavras em que há as terminações: ágio, égio, ígio, ógio e úgio:


Estágio, egrégio, remígio, relógio, refúgio.


As palavras com os sufixos verbais - ger, - gir:


Eleger, fingir, fugir, proteger, submergir


As palavras com o emprego do "G" depois da vogal inicial "A":


Agente, ágil, agiota, agitar..


“ão” ou “am”




“i” e “u” em final de sílaba
A pronúncia do português falado na maior parte do Brasil não faz distinção entre o L e o U do final das palavras, tanto que você não consegue distinguir isoladamente mal de mau. Esse fato acarreta grande confusão na hora de escrever. A 2ª e 3ª pessoas do singular do presente do indicativo e a 2ª pessoa do singular do imperativo dos verbos terminados em -uir, escrevem-se com I
Ex.: possui , possuis (possuir); diminui , diminuis (diminuir); constitui, constituis (constituir);


Grafam-se com a letra i :
palavras com o prefixo anti - (prefixo grego que indica oposição, ação contraria): antiácido, anticristão, antiestético


a sílaba final de formas dos verbos terminados em -uir: atribui (atribuir), diminui (diminuir), possui (possuir), substitui (substituir)


as palavras: adiante, crânio, privilégio, piorar, réstia, requisito, ridículo, terebintina, inigualável


s/ss
De CED para CESS - (de ceder) -cessão, (de exceder) -excessivo.


De GRED para GRESS - (de agredir) agressão, agressivo; (de progredir) -progressão.


De PRIM para PRESS - (de imprimir) - impressão, (de oprimir) -opressão.


De TIR para SSÃO - (de admitir) -admissão, (de permitir) -permissão.


Do latim a palavra persona - pessoa - logo "RS - SS";


Do latim a palavra - pérsico - pêssego.


Do latim a palavra "dixi" - disse, logo "X" - "SS";


Do latim a palavra - sexaginta - sessenta.


As palavras em que há prefixo em vogal ou terminado por ela; logo, "SE" juntado a palavras que comecem por "S", este deve ser dobrado, para se Ter tom de "SÊ" assilábico, assindeto, ressurgir, assindética, assimilado.


r/rr
Duplicam-se o S e o RR em dois casos:
1. quando intervocálicos, representam os sons simples do R e S iniciais: carro, ferro,
pêssego, missão.


2. quando um elemento de composição terminado em vogal, seguir, sem interposição do hífen, palavra começada por uma daquelas: derrogar, prerrogativa, prorrogação, pressentimento, madressilva etc.


1. O ACENTO AGUDO é empregado para assinalar:
a) as vogais tônicas fechadas i e u: aí horrível físico baú açúcar lúgubre


b) as vogais tônicas abertas e semi-abertas a, e e o: há amável pálido pé tivésseis exército pó herói inóspito


2. O ACENTO GRAVE é empregado para indicar a crase da preposição a com a forma
feminina do artigo (a, as) e com os pronomes demonstrativos a(s), aquele(s), aquela(s), aquilo:


3. O ACENTO CIRCUNFLEXO é empregado para indicar o timbre semi-fechado das vogais tônicas a, e e o: câmara cânhamo hispânico mês dêem fêmea avô pôs cômoro


O TIL ( ~ ) emprega-se sobre o a e o o para indicar a nasalidade dessas vogais:
maçã mãe pão caixões põe sermões


TREMA ( '' ) só se emprega na ortografia em vigor no Brasil, em que assinala o u que se pronuncia nas sílabas gue, gui, que e qui:


O APÓSTROFO ( ‘ ) serve para assinalar a supressão de um fonema - geralmente a de uma vogal - no verso, em certas pronúncias populares e em palavras compostas ligadas pela proposição de: esp'rança, minh’ alma, ‘stamos, por esperança, coroa, minha alma, estamos. Então:O uso deste sinal gráfico limita-se aos seguintes casos:


Indicar a supressão de uma vogal nos versos, por exigências métricas, como ocorre, mais freqüentemente entre poetas portugueses: c’roa.


Reproduzir certas pronúncias populares:


Olh ‘ ele aí ... (Guimarães Rosa)


Não s ‘ enxerga, enxerido! (Peregrino Jr.)


Indicar a supressão da vogal da preposição de em certas palavras compostas: copod’água, pau-d’arco, estrela-d’alva , etc.


Não será usado o apóstrofo:


1) Na palavra pra, na forma reduzida da preposição para: Puxa! Você não presta nem pra tirar gelo, Simão. (Origenes Lessa)


2) Nas contrações das preposições com artigos, pronomes e advérbios: dum, num, dalém, doutro, doutrora, noutro, nalgum, naquele, nele, dele, daquilo, dacolá, doravante, co, cos,coa, coas (com o, com os, com a, com as), pro, pra, pros, pras, (para o, para a, para os, para as). Exemplos: escritores dalém-mar; costumes doutrora; ir pra beira do rio.


3) Nas combinações dos pronomes pessoais: mo, mos, ma, mas, to, lho, lhos, etc.


4) Nas expressões cujos elementos se aglutinaram numa unidade fonética e semântica: dessarte, destarte, homessa, tarreneg, tesconjuro, vivalma.


5) Nos títulos de livros, jornais etc.: a leitura dO Guarani, a campanha dO Globo, a reportagem dA Noite.


A CEDILHA ( , ) coloca-se debaixo do c, antes de a, o e u, para representar a fricativa
linguodental surda [ s ]: caçar maciço açúcar praça cresço muçulmano


Uso do porquê
A palavra “porquê”, conforme sua posição e seu significado na frase, aparece escrita de quatro maneiras distintas:


A) POR QUE = por que motivo, o motivo pelo qual, pelo qual.
Ex.: Por que chegamos atrasados? (Por que motivo ...)


Daí por que estamos alegres. (Daí o motivo pelo qual ... )
B) POR QUÊ = por qual motivo. (É usado somente no fim da frase, antes de um ponto.).
Ex.: Eles estão alegres, mas eu não sei por quê.
Você chegou tão atrasado, por quê?


C) PORQUE = por causa que; porquanto; pois. (É usado para dar uma explicação.).
Ex.: Estão alegres porque hoje é dia de festa.


Chegou atrasado porque perdeu o ônibus.


D) PORQUÊ = o motivo (o porquê). (Está substantivado e admite artigo ou pronome adjetivo.).
Ex.: Não sei o porquê de sua alegria. Os seus porquês não me interessam!


Mário observou a tristeza do colega e quis saber o porquê. Então, perguntou-lhe:


Você está com uma cara tão triste, meu amigo, por quê ?


QUE/QUÊ
Que é pronome, conjunção, advérbio ou partícula expletiva.

Quê é um substantivo (com o sentido de "alguma coisa"), interjeição (indicando surpresa, espanto) ou pronome em final de frase (imediatamente antes de ponto final, de interrogação ou de exclamação)
Ex. Que você pretende, tratando-me dessa maneira?


Você pretende o quê?


Quê!? Quase me esqueço do nosso encontro.

para onde
Usamos onde quando queremos indicar permanência, lugar e aonde quando queremos indicar movimento, como ir, chegar.
Ex: Onde estavam as autoridades na hora da chacina ?


Não sei onde coloquei o abaixo-assinado.


Aonde aqueles sem-terra pensam que vão ?


Você sabe aonde a justiça quer chegar ?


Aonde você vai tão apressada ?


MAL/MAU
Usamos mal quando puder ser substituído por bem.


Usamos mau quando puder ser substituído por bom.


SENÃO/SE NÃO
Senão significa "caso contrário, a não ser".


Se não ocorre em orações subordinadas adverbiais condicionais; equivale a "caso não".
Ex: Estude bastante, senão não sairá sábado à noite.


Se não estudar, não sairá sábado à noite.


AO ENCONTRO DE/DE ENCONTRO A
ao encontro de: para junto de; favorável a


de encontro a: contra; desfavorável; em prejuízo de


Ex: Caminhando pela calçada foi de encontro a um poste e quebrou o nariz.


As novas medidas adotadas pela direção vieram ao encontro das necessidades dos
funcionários.


AFIM/A FIM
Afim é adjetivo equivalente a "igual, semelhante".


A fim de é locução prepositiva que indica finalidade.
Ex. Nós temos vontades afins.


Ela veio a fim de estudar seriamente.


DEMAIS/DE MAIS
demais – excessivamente, além disso, intensidade. Adjetivo excessivo ou demasiado


de mais – quando queremos expressar algo em grau superior..
Ex.: Aquela casa é velha demais.


A/HÁHá é usado para indicar tempo decorrido.
A é usado para indicar tempo futuro.
Ex. Ele partiu há duas semanas.


Estamos a dois dias das eleições.


ACERCA DE/HÁ CERCA DE
Acerca de é locução prepositiva equivalente a "sobre, a respeito de".


A cerca de indica aproximação.


Há cerca de indica tempo decorrido.
Ex. Estávamos falando acerca de política.


Moro a cerca de 2 Km daqui.


AO INVÉS DE/EM VEZ DE
Ao invés de indica "oposição, situação contrária".


Em vez de indica "substituição, simples troca".
Ex. Em vez de ir ao cinema, fui ao teatro.


Descemos, ao invés de subir.


À-TOA/À TOA
à-toa - irrefletido, inútil, vil


à toa - sem destino


DIA-A-DIA/DIA A DIA
dia-a-dia - (o) dia-a-dia = rotina diária


dia a dia - dia após dia


TAMPOUCO/TÃO POUCO
Tampouco significa também não:


Não fuma, tampouco bebe.


Tão pouco traz a idéia de muito pouco:


MAS/MAIS
A natureza é importante, mas o homem, às vezes, se esquece disso.
mas = porém ( idéia oposta, contrária )


A indústria cortou mais árvores que no ano passado.
mais = quantidade ( muitas )

mas: indica oposição, idéia contrária.


mais: indica quantidade, somatória.


Observação:




A PAR/AO PAR
A par é usado, no sentido de "estar bem informado", “ter conhecimento".


Ao par só é usado para indicar equivalência entre valores cambiais.
Ex. Estou a par de todos os acontecimentos.


O real está ao par do dólar.


CESSÃO/SESSÃO/ SEÇÃO/SECÇÃO
cessão: ato de ceder


sessão: assembléia, reunião


seção / secção: repartição, parte, divisão, corte, departamento (preferir o uso de seção)
Ex: Dirijam-se à seção de pagamentos.


Participei da sessão em que foi discutido o aumento de salário.


A prefeitura fez cessão de um de seus terrenos para a construção de uma creche.

Nenhum comentário:

Postar um comentário