03/04/2010

PRONOMES,ADJETIVO,ADVÉRBIO, LOCUÇÕES, INTERJEIÇÃO,CONJUNÇÃO

 PRONOMES: São palavras que acompanham o substantivo ou o substituem indicando as pessoas do discurso. Há seis espécies de pronomes: pessoais, possessivos, demonstrativos, indefinidos, relativos e interrogativos.


PRONOMES PESSOAIS: São os pronomes que representam as "pessoas gramaticais", isto é: o ser que fala, o ser com quem se fala e o ser de quem se fala.


RETO OBLÍQUOS FORMA DE TRATAMENTO
1ª SING.pessoa gram. PL. Eu
Nós me mim mi gonos nosco 2ª SING.pessoa
gram. PL. Tu Vós te ti tigo vos vosco Representa a 2ª pessoa gramatical, mas leva o
verbo para a 3ª pessoa.
3ªpessoa SING .gram Ele (Ela) se si sigo lhe o a VOCÊ
3pessoa PL.Eles (Elas ) se si sigo hes os as VOCÊS


Pronomes Pessoais Retos e Oblíquos
A classificação do pronome pessoal em reto ou oblíquo está diretamente ligada a função que ela exerce na oração. O pronome pessoal reto sempre exerce a função de sujeito. O pronome pessoal oblíquo, sempre exerce a função de complemento. No caso de os pronomes pessoais oblíquos exercerem a função de complemento verbal (objeto direto ou indireto), tenha sempre claro o seguinte:
Os pronomes oblíquos o, a, os, as exercem a função de objeto direto.
Os pronomes oblíquos lhe, lhes exercem a função de objeto indireto.
Os pronomes oblíquos me, te, se, nos, vos, tanto podem exercer a função de objeto direto como a de objeto indireto.


Outra informação importante: os pronomes pessoais não aparecem regidos por preposição. Alguns pronomes oblíquos são regidos por preposição; por exemplo, quando funcionam como objeto indireto, agente da passiva ou complemento nominal.
Preste atenção, agora, na seguinte oração: predicado verbal
Suj. obj. direto obj. indireto
Eu entreguei a carta para ela.a
pronome verbo prep. pron. pessoal transitivo pessoal reto direto e oblíquo indireto
Nesses casos, os pronomes ele, ela, nos, vos, eles, elas, precedidos de preposição, são oblíquos.


PRONOMES POSSESSIVOS
* meu, teu, seu, nosso, vosso (e variantes ).
* me, te, lhe, nos, vos, quando substituíveis pelos possessivos sem quebra de sentido.
Ex.: Apertou-me a mão. (= Apertou a minha mão)


O quadro seguinte mostra as possibilidades de substituição:
1 ) ME - MEU, MEUS - MINHA, MINHAS
2 ) TE - TEU, TEUS - TUA, TUAS
3 ) LHE - SEU, SEUS - SUA, SUAS
4 ) NOS - NOSSO, NOSSOS - NOSSA, NOSSAS
5 ) VOS - VOSSO, VOSSOS - VOSSA, VOSSAS


PRONOMES DEMONSTRATIVOS
* este, esse, aquele (e suas variantes).
* o, a, os, as diante da palavra QUE, pois, nesse caso, são, em geral, substituíveis por aquele(s), aquela(s), aquilo, isto.
Ex: Não ouvi “o que” disseste.(= ouvi “aquilo que” disseste)


PRONOMES INDEFINIDOS
São aqueles que se referem à 3ª pessoa, mas de modo vago, indefinido.
Principais pronomes indefinidos: algo, alguém, fulano, sicrano, beltrano, nada, ninguém, outrem, quem, tudo, cada, certa, certo, certas, certos, algum, alguma, alguns, algumas, bastante, demais, nenhum, nenhuma, qualquer, quaisquer, quanto, quantos, todo, todos, etc.


PRONOMES INTERROGATIVOS
Aparecem em frases interrogativas, acompanhadas ou não de verbos interrogativos como: perguntar, desejar, saber, etc. São pronomes interrogativos: que, qual, quem, quanto.
Ex. Quem chegou primeiro?




PRONOMES RELATIVOS
São os que representam seres já citados na frase, servindo como elemento de ligação (conetivo) entre duas orações. Ex. Os romanos escravizavam os soldados que eram derrotados. Sejamos gratos a Deus, a quem tudo devemos. São pronomes relativos as palavras: que, quem, qual, o qual;, os quais, cuja, cujas, cujo, cujos, onde, quanto, quantos, quanta, quantas.


COLOCAÇÃO DE PRONOMES
Em relação aos verbos, os pronomes átonos podem ser colocados em três posições: próclise, ênclise, mesóclise. A escolha da próclise, ênclise ou mesóclise constitui fundamentalmente uma questão estilística, isto é, depende do ritmo, eufonia e expressividade que o autor pretende dar a frase. Com base nesse princípio estilístico, a gramática sistematizou os principais casos de obrigatoriedade do emprego de uma dessas três possibilidades .


EMPREGO DOS PRONOMES
Quando definimos pronome, afirmamos que ele pode substituir o substantivo ou pode
acompanhá-lo. No primeiro caso temos um pronome substantivo; no segundo caso, um
pronome adjetivo. Observe a frase seguinte e suas possíveis variações:
Aquele livro é novo (aquele = pronome adjetivo, porque vem seguido do substantivo livro).
Aquele que trabalha progride (aquele = pronome substantivo, porque não vem seguido de
substantivo; está empregado no lugar de um substantivo).


SUBSTANTIVOS: os pessoais, os demonstrativos,isto, isso, aquilo; os indefinidos quem,alguém, ninguém, algo, outrem, tudo.

ADJETIVOS: os pronomes possessivos; o pronome relativo cujo, os pronomes cada, certo.

 VERBO: Verbo é a palavra que exprime ação, estado, fato ou fenômeno.
Quanto a conjugação divide-se em:


REGULARES: São aqueles que seguem um paradigma em sua conjugação. Na conjugação de um verbo regular, o radical e as desinências verbais mantêm-se regulares nos diferentes tempos e modos.
Ex.:am-o beb-o part-o
am-as beb-es part-es
am-a beb-e part-e
am-amos beb-emos part-imos
am-ais beb-eis part-is
am-am beb-em part-em


IRREGULARES: São aqueles verbos que não seguem os paradigmas das conjugações, pois apresentam irregularidades nos radicais ou nas desinências. Ex.:
sub-o meç-o dou
sob-es med-es dás
sob-e med-e dá
sub-imos med-imos damos
sub-is med-is dais sob-em med-em dão


DEFECTIVOS: São aqueles que não possuem conjugação completa.
* defectivos impessoais: são verbos que não possuem sujeito, não estabelecem concordância com nenhum termo da oração. Estão enquadrados nessa classificação os verbos que indicam os fenômenos da natureza - chover, relampejar, trovejar, ventar, nevar, etc., o verbo haver (no sentido de existir) e fazer (na indicação de tempo decorrido).


* defectivos unipessoais: são os verbos que são conjugados apenas na 3ª pessoa, singular e plural. São verbos que exprimem vozes de animais - miar, latir, grunhir, mugir, zumbir - e aqueles que exprimem ocorrência - ocorrer, acontecer, suceder, sobrevir, etc. Tanto nesse caso como no dos impessoais, a defectividade decorre da significação dos verbos, que apenas figuradamente podem aparecer em formas de 1ª e 2ª pessoas. Os verbos defectivos pessoais não possuem algumas flexões por motivos formais. É o caso do verbo falir, o qual possui formas idênticas ao verbo falar. A eufonia também é um motivo que justifica a não utilização de algumas formas. Um bom exemplo é o verbo abolir (abulo não é considerada uma forma agradável aos ouvidos).


* Não possuem a 1ª pessoa do pres. do indicativo; conseqüentemente, não possuem pres. do
subjuntivo nem imperativo negativo. No imperativo afirmativo, possuem apenas as formas que vêm do pres. do indicativo. Ex.: Verbo demolir - pres. do indicativo: eu ø, tu demoles, ele demole, nós demolimos, vós demolis, eles demolem


- imp. afirmativo: demole tu, ø você, ø nós , demoli vós, ø vocês


Seguem esse modelo: abolir, banir, carpir, colorir,
delinqüir, exaurir, fremir, fulgir, haurir, retorquir.


Os verbos falir, agredir, combalir, foragir-se e Reunir são conjugados apenas naquelas pessoas em que o radical e seguido de i. Não possuem pres.
subjuntivo nem imp. negativo.
 Ex.: Verbo falir.
- pres. indicativo: eu ø, tu ø, ele ø, nós falimos, vós
falis, eles ø
- imp. afirmativo: ø tu, ø você, ø nós, fali vós, ø eles


Os verbos adequar, precaver e reaver são conjugados no pres. indicativo, imperativo
neg./afirm. e pres. subjuntivo apenas na 1ª e 2ªpessoas do plural.
 Ex.:* Verbo adequar
- pres. ind.: eu ø, tu ø, ele ø, nós adequamos, vós
adequais, eles ø


- imperativo: ø tu, ø você, adequemos nós, adequai
vós, ø eles
ø tu, ø você, não adequemos nós, não adequeis
vós, ø eles
- pres. subj.: eu ø, tu ø, ele ø, nós adequemos, vós
adequeis, eles ø


* Verbo precaver:
- pres. indicativo: eu ø, tu ø, ele ø, nós precavemos,vós precaveis, eles ø
- imp. afirmativo: ø tu, ø você, ø nós, precavei vós, ø
eles


* Verbo reaver:
É conjugado com o modelo de haver, mas só apresenta as formas em que este último possui V no radical.
- pres. indicativo: eu ø, tu ø, ele ø, nós reavemos,
vós reaveis, eles ø
- imp. afirmativo: ø tu, ø você, ø nós, reavei vós, ø
eles
Quanto aos verbos precaver e reaver, veja a conjugação no pretérito perfeito do indicativo:
Precaver: precavi, precaveste, precaveu, precavemos, precavestes, precaveram.
Reaver: reouve, reouveste, reouve, reouvemos, reouvestes, reouveram (modelo: haver).


TEMPO: Há 2 tipos de tempos verbais: os primitivos e os derivados.
São chamados de tempos primitivos aqueles que dão origem a outros tempos verbais.


São três os tempos verbais primitivos: o presente do indicativo, o pretérito perfeito do indicativo e o infinitivo impessoal. Todos os demais tempos são chamados tempos derivados, pois se originam desses três tempos verbais primitivos.


Tempos primitivos Tempos derivados presente do indicativo
presente do subjuntivo
imperativo afirmativo
imperativo negativo
pretérito
perfeito do indicativo
mais-que-perfeito do indicativo
imperfeito do subjuntivo
futuro do subjuntivo
infinitivo
impessoal
imperfeito do indicativo
futuro do presente do indicativo
futuro do pretérito do indicativo
infinitivo pessoal
particípio
gerúndio


ASPECTO: Aspecto é a maneira de ser da ação.
Se digo, por exemplo, eu trabalho e eu estou trabalhando, há diferença entre ambas quanto à
duração (muito mais forte na segunda forma).


O pretérito perfeito composto, embora indique um fato concluído revela, de certa forma, a idéia de continuidade.
Exemplo: Eu tenho estudado (isto é, eu estudei continuamente até o presente momento).


Os verbos terminados em "ecer" ou "escer", por exemplo, indicam uma continuidade gradual.
Exemplo: Embranquecer é começar a ficar grisalho
e envelhecer é ir ficando velho.


MODO: Modo são as diferentes formas que toma o verbo para indicar a atitude do falante em relação ao fato.
Há três modos: Indicativo Subjuntivo e Imperativo.
Indicativo: Apresenta o fato de uma maneira real, certa, positiva.
 Exemplo: Eu estudo Geografia.


Subjuntivo
Exprime um desejo ou apresenta o fato como possível ou duvidoso.
 Exemplos: Se eu tivesse dinheiro, compraria um carro.
Quando o relógio despertar, acorda-me.


Imperativo
Exprime ordem, conselho ou súplica. Exemplos:
Limpa a cozinha, Maria. /Senhor, tende piedade de nós. / Descanse bastante nestas férias.


EMPREGO DOS PARTICÍPIOS DUPLOS OU TRIPLOS
As formas regulares (na prática, as mais longas) devem ser empregadas com os auxiliares “ter” ou “haver”, as formas irregulares (na prática, as mais curtas) devem ser usadas com os auxiliares “ser” ou “estar”. Ex: O diretor tinha suspendido a aula. O ladrão fora preso pelo guarda.


VERBOS CONJUGADOS COM PRONOME ENCLÍTICO
Os problemas são os seguintes:
1 - Verbo seguido pelo pronome oblíquo átono LHE ou LHES
- não há alteração formal no verbo ou no pronome.
Ex.: Enviamos-lhe alguns livros.


2 - Verbo seguido de pronome reflexivo, isto é, pronome oblíquo da mesma pessoa do sujeito (me, te, se, nos, vos, se)
- a forma verbal de primeira pessoa do plural (nós) sofre alteração: o “s” é eliminado diante do pronome enclítico “nos”. Ex: magoamo-nos, queixamo-nos, etc.


3 - Verbo seguido pelo pronome “o” e flexões -apresenta possibilidades variadas, segundo a
maneira como finaliza a forma verbal:
a) forma verbal terminada em vogal ou ditongo oral.- não há modificação no verbo ou no pronome. Ex.:mandei-o, amo-a, etc.


b) forma verbal finalizada pela consoante “m” ou pelos ditongos nasais “ão” ou “õe”.
- o pronome oblíquo assume a forma “no” (“na”, “nos” ou “nas”). Ex.: mandam-no, põe-no, dão-no, etc.


c) forma verbal finalizada em “R”, “S” ou “Z”
- eliminam-se essas letras e o pronome oblíquo toma a forma “lo” (“la”, “los” ou “las”). A forma verbal resultante obedece normalmente às regras de acentuação. Ex.: fazê-lo, mandá-lo, atraí-lo, etc.


ADVÉRBIO: É a expressão modificadora do verbo, do adjetivo ou do próprio advérbio, indicando uma circunstância de lugar, de tempo, de modo, de intensidade, de condição, etc. O advérbio pode, também modificar uma oração inteira.
Ex.: Aqui, trabalha-se com dedicação.Hoje, tudo será esclarecido.Segundo as circunstâncias transmitidas,classificam-se os advérbios em:


AFIRMAÇÃO
1) sim
2) deveras - significa sinceridade, realmente, verdadeiramente
3) pois sim - locução adverbial que denota assentimento. Pode também exprimir dúvida ou
reserva.
Ex.: Pois sim! Não quiseste participar...
4) pois não - locução adverbial que exprime de forma cortês, idéia de consentimento
5) certo
6) certamente.


DÚVIDA
1) por ventura
2) quiçá - significa talvez, quem sabe, porventura
3) talvez - quando precede o verbo, este advérbio exige o subjuntivo, e o indicativo quando vem posposto ao verbo. Ex.: Talvez queiram tomar outro rumo.
4) acaso.


INTENSIDADE
1) algo
2) assaz - (bastante, suficientemente)
3) bastante - (muito, suficientemente)
4) demais
5) muito, pouco
6) mais, menos
7) meio, metade - substantivos que funcionam às vezes como advérbio.
Ex.: Estava meio louco, quando tomou aquela atitude.
8) que - é advérbio quando modifica adjetivo.
Ex.: Que bela é aquela jovem!
9) quase - significa “por pouco”, a pequena distância”, “com pouca diferença”, “aproximadamente”.
10) sobremaneira, sobremodo
11) tanto, quanto
12) tão e quão
13) todo.


LUGAR
1) abaixo, acima. Às vezes vem colocado após o substantivo, com grande efeito e elegância. Ex.: Correu pela rua abaixo.
2) adentro, afora
3) adiante, atrás
4) além, aquém
5) alhures, algures, nenhures. Algures é uma palavra cognata de algum e significa “em algum lugar:, “em alguma parte”.
Ex.: Ele estará algures.
Nenhures contrapõe-se a algures e significa “em nenhum lugar.
Alhures significa “em outro lugar”.
6) aqui, aí, ali
7) arriba. Avante
8) cá, lá e acolá
9) defronte, atrás
10) dentro, fora
11) em cima, embaixo
12) junto
13) longe, perto
14) onde, aonde. O primeiro pode ser advérbio relativo com antecedente expresso ou latente.
Ex.: A cidade onde estive vários dias...
O advérbio onde indica estada, permanência em algum lugar; aonde indica movimento para
um lugar.
Ex.: Não sei onde estou, nem aonde irei.
15) exteriormente, interiormente, lateralmente e outros advérbios terminados em mente.


MODO
1) acinte - significa “de propósito”, “deliberadamente”. É também substantivo indicando propósito de fazer alguma coisa, procedimento consciente.
2) adrede - significa “de caso pensado”, “de propósito”.
3) ainda
4) alerta - significa atentamente.
5) apenas - etimologicamente significa “penosamente”, “com dificuldade”.
Ex.: Apenas conseguia abrir os olhos.
Apenas e mal são advérbios que passam a ser conjunções subordinativas temporais, quando ligam duas orações.
Ex.: O trem saiu, apenas eu cheguei. Mal tocou a sineta, o professor deixou a classe.
6) assim. Esse advérbio entra em expressões como: assim e assim (mais ou menos); como assim (locução adverbial que denota espanto); assim como assim (seja como for, de qualquer modo).
7) bem, mal
8) cerce - significa rente, pela raiz.
9) como - além de sua função de advérbio, pode também exercer função conjuntiva.
10) depressa
11) rente
12) também
13) devagar
14) só - além de advérbio, significando somente, unicamente, só pode também ser adjetivo, com a significação de sozinho.
Mente é o único sufixo adverbial que possuímos na língua portuguesa. Para a formação de advérbios é acrescentado ao adjetivo flexionado na forma feminina.
Ex.: bondosamente, precipitadamente, absolutamente.


TEMPO
1) agora, ora
2) ainda
3) antes, depois
4) cedo, tarde, logo
5) então
6) entrementes, já
7) quando - significa “tempo em que”
8) ontem, hoje, amanhã
9) outrora
10) nunca, jamais - estes advérbios têm valor negativo, significando “em tempo nenhum”.
11) sempre
12) primeiro, primeiramente, secundariamente...


COLOCAÇÃO E GRAU DOS ADVÉRBIOS
Embora faltem ao advérbio as flexões de gênero e número, possui ele a flexão de grau,
igualmente como o adjetivo. Os casos, porém, são raros.


GRAU COMPARATIVO:
de igualdade: tão bem, tão harmoniosamente
de superioridade: melhor, pior, mais bom, mais mal, mais harmoniosamente
de inferioridade: menos bem, menos mal, menos harmoniosamente.


SUPERLATIVO ABSOLUTO:
Sintético: harmoniosamente
Analítico: muito harmoniosamente

DIMINUTIVO: cedinho, loguinho, agorinha, pertinho, pertico.
1. Grau comparativo - Existem as três possibilidades:
a) de igualdade: Voltou tão tarde quanto eu.
b) de superioridade: Chegou mais tarde que eu.
c) de inferioridade: Chegou menos tarde que tu.


2. Grau superlativo - Em geral, o advérbiopossui o grau superlativo absoluto, em forma
sintética ou analítica. A forma sintética é feita pelo acréscimo do sufixo -íssimo: muito (muitíssimo), cedo (cedíssimo), perto (pertíssimo), etc.


NOTA - Para os advérbios formados com o sufixo -mente, em primeiro lugar forma-se o
superlativo absoluto sintético do adjetivo e, posteriormente, acrescenta-se o sufixo -mente.
Ex.: forte (adj) - fortíssimo (fortíssima) - fortissimamente.
A forma analítica é feita pela utilização de um advérbio de intensidade (muito, extremamente,
demasiado, etc.): muito bem, extremamente bem, demasiado bem, etc.


ADVÉRBIOS INTERROGATIVOS
Denominação reservada às palavras “onde?”, “aonde?”, “donde?”, “por que?”, “para que”? e
“como?” sempre que estiverem introduzindo uma interrogação direta ou indireta.
Ex.: Onde estás? (Interrogação direta)
Quero saber onde estás. (Interrogação indireta)


LOCUÇÃO ADVERBIAL: É reunião de palavras que eqüivalem a advérbios propriamente ditos.
Ex.: às claras, às pressas, em vão, em tempo, em breve, à toa, ao contrário, etc.
Obs.: a locução verbal sempre inicia com preposição.


PALAVRAS DENOTATIVAS: Certas palavras, semelhantes ao advérbio, passaram a ter classificação à parte:
São palavras denotativas de:
a) inclusão: inclusive, até, mesmo, também...
b) exclusão: apenas, menos, salvo, só, somente...
c) designação: eis...
d) realce: cá. Lá, é que...
e) retificação: aliás, ou melhor, isto é ...
f) situação ou explicação: a saber, isto é, por exemplo ...


8. PREPOSIÇÃO
Palavra invariável que estabelece relação entre termos de uma mesma oração. É um conetivo subordinativo que, colocado entre dois termos de funções diferentes, um antecedente e outro conseqüente, indica que este está subordinado àquele. O papel das preposições é, assim, subordinar um elemento da oração a outro, apresentando o segundo como complemento do
primeiro.


PREPOSIÇÕES SIMPLES
As preposições podem aparecer combinadas com outras palavras: do (de + o); no (em + o); deste (de + este); daquele (de + aquele); pelo (per + o).


LOCUÇÕES PREPOSITIVAS
Locução prepositiva é o grupo de palavras com valor e emprego de uma preposição.
Normalmente a locução prepositiva é formada de advérbio ou locução adverbial seguida da
preposição de, a ou com. Pode também a locução prepositiva ser formada de duas preposições.
São locuções prepositivas: além de, acerca de, cerca de, por meio de, por causa de, em vista de, etc.
OBS.: Não confunda as locuções prepositivas com as locuções adverbiais. As primeiras têm normalmente como último elemento, uma preposição, enquanto com as locuções adverbiais isso nunca acontece.


COMBINAÇÃO
Algumas preposições podem combinar-se com outras palavras, passando a constituir um único vocábulo, guardando, contudo, a integridade da preposição.
A + artigo: ao, aos, à, às
DE + artigo: do(s), da(s)
DE + demonstrativo: deste(s), desta(s), disto(s), desse(s), dessa(s), disso(s), daquele(s), daquela(s), daquilo(s).
DE + pessoal ele: dele(s), dela(s).
DE + advérbio: daqui, dali, daí, donde.
EM + artigo: no(s), na(s), num(s), numa(s).
EM + demonstrativo: neste(s), nesta(s), nisto(s), nesse(s), nessa(s), nesta(s), nisso(s), naquele(s), naquela(s), naquilo(s0.
EM + pessoal ele: nele(s), nela(s).
EM + indefinido outro: noutro(s), noutra(s)
PER + artigo: pelo(s), pela(s)


9. CONJUNÇÃO
É a palavra invariável que liga orações ou termos da oração.
Ex.: Comi mas não gostei.
As conjunções dividem-se em: coordenativas e subordinativas.
Quando a conjunção liga as orações sem fazer com que uma dependa da outra ou sem que a
segunda complete o sentido da primeira, dizemos que ela é coordenativa.
Quando a conjunção liga duas orações que se completam uma a outra e faz com que a segunda dependa da primeira, dizemos que ela é subordinativa.


COORDENATIVAS: Podem ser:
a) aditivas - que dão idéia de adição: e, nem, mas também, mais ainda, senão, também, como também, bem como.
Ex.: A doença vem a cavalo e volta a pé.
b) adversativas - relação de oposição: mas, porém, contudo, todavia, entretanto.
Ex.: Querem ser ricos, mas não trabalham.
c) alternativas - relação de alternância: ou ...ou, ora ... ora.
Ex.: Maria ora caminhava, ora sentava ofegantemente.
d) conclusivas - relação de conclusão: logo, portanto, por conseguinte, pois (posto ao verbo). Ex.: As árvores balançavam, logo estava ventando.
e) explicativas - relação de justificação: pois (anteposto ao verbo), porque, que ...
Ex.: Venha, porque quero conversar com você.


SUBORDINATIVAS: Podem ser:
a) integrantes introduzem as orações subordinadas substantivas: que, se.
Ex.: Sonhei que o mundo ia acabar.
b) causuais relação de causa: porque, visto que, já que, como ...
Ex.: Não me interessa a opinião deles, porque todos ali são imbecis.
c) concessivas relação de concessão: embora, ainda que, se bem que ...
Ex.: Foi ao encontro, embora estivesse atrasado.
d) comparativas relação de comparação: mais ...do que, menos... do que, como ...
Ex.: Talvez ninguém pense como nós pensamos.
e) condicionais relação de condição: se, caso, contanto que, desde que, a menos que, salvo, a não ser que ...
ex.: Não irei sem que ele me telefone.
f) conformativas relação de conformidade: conforme, consoante, segundo.
Ex.: Cada um colhe, conforme semeia.
g) consecutivas relação de conseqüência: (tal)... que; (tanto) ... que.
Ex.: Era tão feia que metia medo nas crianças.
h) finais relação de finalidade: para que, que, a fim de que.
Ex.: Enganou-os para que não a enganassem.
i) proporcionais relação de proporcionalidade: à medida que, à proporção que, quanto mais ... Ex.: As criaturas são mais perfeitas à proporção que são mais capazes de amar.
j) temporais relação de tempo: quando, antes que, depois que, até que, logo que, sempre que, desde que, apenas, mal ...
Ex.: Todos saíram, depois que protestei.


LOCUÇÕES CONJUNTIVAS
Muitos dos exemplos acima citados são locuções conjuntivas, pois são duas ou mais
palavras com valor de uma conjunção antes que, desde que, para que, etc.


10. INTERJEIÇÃO: É a expressão que transmite emoções súbitas. O próprio tom de voz, ascendente ou descendente,com que são ditas as interjeições, revela as mais variadas emoções ou sentimentos. Exs.:
a) alegria: Oh! Ah! Oba! Eh! Viva! ...
b) dor: ai! Ui! Ah! Oh! Ai de mim! Meu Deus! ....
c) espanto: oh! Ah! Puxa! Céus! Quê! Upa!,....
d) advertência: cuidado! Devagar! Atenção! Olha lá! Calma! ...
e) desagrado: chi! Ora bolas! Que nada! Francamente! ...
f) aprovação: muito bem! Boa! Apoiado! Bravo! Hurra! ...
g) terror: uh! Credo! Cruzes! Jesus! Ui! ...
h) silêncio: psiu! Pst! Silêncio! ....
i) chamamento: olá! Alô! Ô! ...
j) admiração: ah! Oh! Eêh! ...
k) saudação: salve! Viva! Ora viva! Ave! ...
l) impaciência ou contrariedade: diabo! Hum! Irra!
m) indignação: fora! Morra! Abaixo! ...
n) socorro: socorro! Alô! Valha-me-Deus! ...
o) afugentamento: sai! Fora! Passa! Rua!Arreda! ....


Locução interjetiva - é um grupo de palavras com valor de interjeição: ai de mim!, ó de casa! Bem feto!

16 comentários:

  1. Anônimo15:01:00

    muito bom
    me ajudou muito
    mas quero algo mais completo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo09:02:00

      mas completo q isso so no inferno!!!!

      Excluir
    2. Anônimo20:04:00

      Eu ainda tenho duvida se no inferno acha mais completo

      Excluir
    3. Anônimo20:28:00

      tbm acho que n esta mt completo

      Excluir
    4. pois eu achei esse site horrível pois não complementa as informações

      Excluir
  2. amei espero que me ajude amanha na minha prova de lingua portuguesa

    ResponderExcluir
  3. Anônimo17:05:00

    Em relacao ao adverbio me ajudou , mas com a locucao adverbial nossa nao me ajudou em nada , precisa melhorar muito

    ResponderExcluir
  4. Anônimo12:17:00

    APRENDI MUITO.

    ResponderExcluir
  5. Anônimo09:00:00

    mt obrigado sem isso eu nao teria chance de passar na prova do salesiano

    ResponderExcluir
  6. Respondi uma questão cuja frase analisada era: ... a reforma garante também MAIS leitos durante a copa.
    Pela resposta do gabarito, a palavra MAIS é um pronome. Você poderia explicar o por quê?

    ResponderExcluir
  7. Anônimo20:41:00

    bom eu adorei ,vai me ajudar bastante na prova de portugues amanhã ,esclaressi todas as minha duvidas,parabens esse saita ta muito legal ,mais acho que vcs podem melhorar mais ,valeu!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  8. Anônimo18:30:00

    obrigada,me ajudou bastante tenho q fazer um trabalho sobre pronomes e advérbios e acho que aqui tem tudo que eu preciso!

    ResponderExcluir
  9. Anônimo12:25:00

    Obrigada tenho que entregar trabalho segunda mais acho que isso me ajuda vou pesquisar em outros sites mais acho qe esse ta bom! Vaaleeu!

    ResponderExcluir
  10. Olha locuçoes de pronomes é a mesma coisa do que locuçoes verbais? estou perguntando isso pois so acho locuçoes verbais e não o outro

    ResponderExcluir
  11. Anônimo19:59:00

    Nossa muito obrigado:-)

    ResponderExcluir
  12. Anônimo11:21:00

    nossa não entendi nada

    ResponderExcluir